Banco de dados online e gratuito mostra história de Palmares

Banco de dados online e gratuito mostra história de Palmares

Share With Your Friends

Redação – redacao@negrxs50mais.com.br

Conhecer a história do maior e mais importante quilombo brasileiro, Palmares, está mais fácil com o projeto “Documenta Palmares”, um banco de dados online e gratuito. Mapas, documentos como alvarás, atestados, assentos, decretos, cartas, ofícios, leis e livros estão reunidos com a história da resistência dos escravizados que, entre os séculos XVI e XVIII, construíram a principal experiência de libertação da América Latina. A iniciativa é coordenada pela historiadora e professora da Unicamp, Silvia Lara.

As primeiras notícias sobre os Palmares datam do início do século XVII, quando homens e mulheres escravizados na África Central e forçados a trabalhar nas vilas, engenhos e currais de Pernambuco se levantaram contra o domínio senhorial. Fugidas da escravidão, mais de 20 mil pessoas se instalaram nas matas do sul da capitania, incluindo onde hoje está o estado de Alagoas. Resistiram a muitas expedições enviadas contra eles até as primeiras décadas do XVIII e a memória de suas lutas impacta a sociedade brasileira até hoje.

O site coloca à disposição dos interessados a matéria prima do historiador: fontes textuais, referências bibliográficas, materiais audiovisuais e projeções cartográficas, que oferecem informações incompletas e muitas vezes contraditórias sobre a história dos Palmares e seu significado ao longo do tempo. Os mecanismos de busca permitem cruzar e checar os dados, escutar várias vozes. 

Documentos acessáveis por três sessões

O Documenta está dividido em três sessões: “fontes”, “obras” e “mapas”.  A “fontes” conta com mais de mil cópias digitais de documentos manuscritos e impressos, que mencionam explicitamente os Palmares e produzidos entre 1595 e 1800. Têm origem em arquivos e bibliotecas brasileiros e estrangeiros. Ao longo dos próximos meses, dizem os organizadores, mais fontes históricas estarão disponíveis para consulta. 

Documenta Palmares - banco de dados online- Erneto Ennes

As informações sobre cada documento estão sintetizadas em fichas que anotam o tipo documental, o local e a data em que foi emitido, assim como o nome e o cargo de seu emissor e destinatário. Seu conteúdo é descrito em um resumo e indexado por meio de palavras-chave; campos específicos registram ainda os nomes, cargos e locais citados no texto, desde que relacionados aos Palmares. 

A sessão “obras” apresenta mais de 500 obras históricas, arqueológicas e literárias, livros didáticos e materiais audiovisuais ou coletâneas que reuniram documentos sobre os Palmares, produzidos entre 1600 e 2021.

A sessão “mapas” permite visualizar a localização aproximada de alguns mocambos, vilas, aldeias indígenas, arraiais militares, sesmarias e trajetos de expedições mencionados nas fontes históricas. Foram mapeados somente os locais relacionados aos Palmares para os quais há algum tipo de referência geográfica na documentação.

Bases cartógraficas modernas

Os dados estão assentados em bases cartográficas modernas, que mostram o relevo da região ou os limites dos estados e municípios atuais. Pontos, linhas e polígonos, desenhados com as ferramentas do georreferenciamento, e ícones listados em uma legenda identificam os diversos tipos de local: aldeia, arraial, campo ou sertão, expedição, freguesia ou vila, mocambo ou cerca, região dos Palmares, sesmaria, assim como os trajetos das expedições. 

A cada local, região ou trajeto está associada uma ficha, que contém seu nome, uma breve descrição do item cartografado e observações sobre os critérios adotados para sua localização ou outras informações relevantes, além de permitir acesso a uma ou mais fontes e a referências de uma ou mais obras que serviram de apoio para a coleta ou comprovação dos dados geográficos.

Alguns conjuntos de mocambos podem ser identificados pelo nome de três das principais lideranças dos Palmares: Dambi, nome mencionado no Diário de Johan Blaer (1645) como rei do “Palmares Grande de que tanto se fala no Brasil”; Gana Zumba, referido como rei dos Palmares na Relação do padre Antônio da Silva (1678), morto em 1680; e Zumbi, que se tornou a grande liderança dos mocambos a partir de 1680, até sua morte, em 1695. Esses conjuntos, segundo os organizadores, não abarcam todos os mocambos e regiões dos Palmares cartografados, apenas os que puderam ser assim identificados a partir das fontes.

Documenta Palmares - banco de dados online- documentos

A pesquisa cronológica é feita por períodos pré-determinados, que correspondem a conjunturas distintas da história dos Palmares. É balizada pelo tempo da ocupação holandesa (1630-1654), pelo acordo de paz de 1678, pela destruição da cerca do Barriga (1694) e pela distribuição das sesmarias aos paulistas e seus descendentes ao longo do século XVIII (1716-1775). 

A documentação sobre os Palmares trata, em geral, das expedições enviadas contra eles. Por isso, as datas disponíveis não se referem ao período de existência dos mocambos, mas ao momento em que foram atacados ou destruídos.

Imagem em destaque é uma montagem realizada por Claudia Balaban, a partir da aquarela de Zacharias Wagener, Negertanz (1634-68), Kupferstich-Kabinett der Staatlichen Kunstsammlungen, Dresden.

Leia também:

negrxs50mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.