Velha Guarda da Portela comemora chegada aos 50 anos

Velha Guarda da Portela comemora chegada aos 50 anos

Share With Your Friends

Redação – redacao@negrxs50mais.com.br

A Velha Guarda da Portela comemora seus 50 anos de formação. Patrimônio cultural do Brasil, fez um show ao vivo e transmitido no YouTube da PortelaTV e da produtora audiovisual Fitamarela. Batizada como “Uma História Contada a Samba” levou ao palco como convidadas Teresa Cristina, Roberta Sá, Eliane Faria e Beatriz Rabello. A festa teve ainda depoimentos gravados de Paulinho da Viola e Marisa Monte e a participação, ao vivo, desde o sofá de casa, de Monarco.

Único representante vivo da formação original do grupo, Monarco está com 87 anos de idade. E, em função da pandemia Covid-19, participou remotamente. Foi ele quem anunciou que o grupo está lançando novo CD e DVD, batizado como “Minha vontade”. São 17 faixas, com 18 sambas. As gravações ao vivo foram feitas em 2015, num show realizado na quadra da escola.

O grupo da Velha Guarda foi formado em 1970, quando Paulinho da Viola reuniu os baluartes da azul e branco de Madureira para gravarem o álbum “Portela, passado de Glória”, que foi lançado pela gravadora RGE. A iniciativa visava preservar canções feitas por nomes como Manacéa, Alvaiade, Chico Santana, Casquinha, Monarco e outros bambas.

Velha Guarda da Portela, Paulinho da Viola, Clara Nunes e Dona Ivone Lara

Os pioneiros

Naquele momento participavam os irmãos Aniceto da Portela, Mijinha e Manacea, Alberto Lonato, Ventura, Alvaiade, Francisco Santana, Antônio Rufino dos Reis, Alcides Dias Lopes (mais conhecido por Alcides Malandro Histórico), Armando Santos e Antônio Caetano.

Ao longo desses 50 anos a Velha Guarda lançou vários discos. Também participou de gravações de artistas como Marisa Monte, Tereza Cristina, Cristina Buarque, Zeca Pagodinho, Clara Nunes,

Programa Ensaio gravado em 1975 com a Velha Guarda da Portela.

Sucesso no mundo e exemplo para outras escolas

Pelas mãos do produtor japonês Katsunouri Tanaka, que lançou em 1986 o disco “Doce recordação – Velha-Guarda da Portela”, chegou ao mercado japonês. E, em 1990, gravou outro disco, “Homenagem a Paulo da Portela”, com a participação da Velha-Guarda. Este foi lançado somente para o mercado japonês. Ambos pelo selo Office Sambinha. São também incontáveis os shows no Brasil e no exterior.

A iniciativa de reunir a velha guarda foi pioneira entre as escolas de samba e abriu caminho para as demais.  Em 1999, Tanaka produziu o CD “Velhas companheiras”, no qual juntou as velhas guardas da Mangueira e da Portela. Participaram, entre outros, Guilherme de Brito, Cristina Buarque, Wilson Moreira, Monarco e Nelson Sargento.

Filmes e livros

A velha guarda portelense também já foi registrada em filmes, como o de Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor, de 2001. Iniciado no show “Tudo azul”, no Canecão, conta com depoimentos de vários integrantes do grupo. No mesmo ano, Carlos Monte e João Baptista M. Vargens lançaram o livro “A Velha Guarda da Portela”.

Outro filme foi o documentário “O Mistério do Samba” produzido por Marisa Monte e dirigido por Carolina Jabor e Lula Buarque de Hollanda. O lançamento foi em 2008. É um registro de várias fases e apresentações por vários estados e países ao longo de dez anos. O filme foi lançado em show no Circo Voador, com a Velha-Guarda da Portela e convidados.

Na festa deste sábado os membros da atual formação estavam na quadra da escola. Foram Tia Surica, Serginho Procópio, Áurea Maria, Marquinho do Pandeiro, Rubão da Cuíca, Neide Sant’anna, Jane Carla, Camarão Netto, Marcos Diniz e Evandro Lima. Segundo a organização, todos fizeram testes e respeitaram os protocolos de segurança contra a transmissão da Covid-19.

Além do próprio aniversário, a Velha Guarda da Portela comemora os 50 anos do clássico “Foi Um Rio que Passou em Minha Vida”, de Paulinho da Viola.

Leia também:

Imagens: reproduções da transmissão ao vivo no Youtube – História da Velha Guarda, fonte Dicionário Cravo Albin

negrxs50mais